‘Hipster da Federal’: Veja o que se sabe sobre a morte do policial em Buritinópolis-GO

O policial federal Lucas Soares Dantas Valença, de 36 anos, conhecido como “hipster da Federal”, morreu em Buritinópolis, no nordeste goiano, na noite de quarta-feira (2), após invadir uma casa na zona rural e ser baleado pelo morador, segundo a Polícia Civil.
O policial ficou conhecido nacionalmente após escoltar o então deputado cassado Eduardo Cunha, em Brasília, e chamar a atenção pela postura. 

Natural de Posse, em Goiás, ele trabalhava na PF, no Distrito Federal. A advogada dele disse que ele fazia tratamento contra depressão e que ele viajou a Goiás para comemorar o aniversário do irmão.

Veja o que se sabe sobre o caso:

Onde e quando houve o crime? 

Como tudo aconteceu?

O policial foi socorrido?

O que o atirador disse?

O atirador foi preso? 

O que a investigação já apurou? 

O que disse a Polícia Federal? 

Onde e quando houve o crime? 

Segundo o boletim de ocorrências, o fato aconteceu às 23h30 de quarta-feira (2), em uma casa na zona rural no Povoado Santa Rita, em Buritinópolis, no centro de Goiás. 

Como tudo aconteceu? 

Na noite de quarta-feira, de acordo com a polícia, Lucas Soares gritou do lado de fora da casa dizendo que “havia um demônio” na residência, segundo a polícia. O policial ainda teria desligado o disjuntor de energia, que fica fora da casa, e arrombado a porta da sala, momento em que foi baleado pelo dono da propriedade. Também estavam na casa a mulher do morador e a filha do casal, de 3 anos. 

O policial foi socorrido? 

Lucas foi baleado na barriga. Ainda segundo a ocorrência, uma ambulância de Buritinópolis chegou a ir ao local, mas, quando a equipe chegou, o policial já estava morto. O corpo foi levado ao Instituto Médico Legal de Posse. 

O que o atirador disse? 

O dono da propriedade contou à polícia que ouviu barulho de gente em volta da sua casa e uma gritaria com diversos xingamentos. Diante da escuridão e com medo, o morador avisou que estava armado. 

No entanto, segundo ele, o homem invadiu o imóvel – momento em que atirou em direção do invasor com uma espingarda. Após religar o disjuntor de energia, ele viu a vítima baleada e chamou a Polícia Militar e uma ambulância. Ele alegou à polícia que não sabia quem era o homem e que agiu em legítima defesa.

O atirador foi preso?

O delegado Adriano Jaime, que fez o flagrante do caso, disse que o morador foi preso por posse irregular de arma de fogo, mas pagou fiança e aguarda a investigação em liberdade.

O que a investigação já apurou? 

A Polícia Civil disse que só irá dar mais informações sobre o caso quando as investigações forem concluídas. 

O Instituto de Criminalística da Polícia Civil esteve na chácara para fazer a perícia da cena do crime. O IML de Posse fez o exame cadavérico, que vai apontar as causas da morte.

O que disse a Polícia Federal?

Em nota, a Polícia Federal disse que “acompanha as investigações e presta todo apoio”. A PF disse ainda que não divulga informações pessoais e funcionais de servidores.

Fonte: G1

BLOG. FRANCISCO FIGUEIREDO

Muito Obrigado por sua visita! A internet é a mais fantástica invenção do homem nos últimos tempos. A liberdade de pensamento que ela nos oferece é de um poder fenomenal. E foi tentando otimizar este espaço privilegiado, que editamos este Blog. O intuito é publicar e discutir qualquer assunto que seja notícia ou de interesse público. Muito obrigado por sua visita e não esqueça de interagir conosco, escrevendo e opinando. REPÓRTER INVESTIGATIVO, DETETIVE PROFISSIONAL - EQUIPE CODI. COMUNICAÇÃO E MÍDIA.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Publicidade

Music