Putin afirma ter acontecido 'agravamento' do conflito no leste da Ucrânia

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta sexta-feira que há um "agravamento" do conflito no leste da Ucrânia, onde o exército do país vizinho combate desde 2014 milícias separatistas pró-russas, que são apoiadas por Moscou.
Desde 2014, há conflito em províncias ucranianas separatistas apoiadas pela RússiaImagem: Thibault Camus/Pool/AFP

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta sexta-feira que há um "agravamento" do conflito no leste da Ucrânia, onde o exército do país vizinho combate desde 2014 milícias separatistas pró-russas, que são apoiadas por Moscou. "Lamentavelmente, agora observamos um agravamento da situação no Donbass", afirmou o chefe de governo, em entrevista coletiva concedida em conjunto com o presidente de Belarus, Alexandr Lukashenko. 

Segundo Putin, "o cumprimento dos Acordos de Minsk são a garantia para o reestabelecimento da paz na Ucrânia e para colocar fim às tensões em torno deste país". "Tudo o que Kiev tem que fazer é sentar na mesa de conversações com os representantes do Donbass e entrar em acordo com as medidas políticas, militares, econômicas e humanitárias para encerrar o conflito", disse o chefe de Estado russo. 

"Quando antes isso acontecer, melhor", completou Putin".

O presidente da Rússia constatou que o processo de solução do conflito ucraniano "continua travado", inclusive, apesar dos esforços no marco do chamado Formato da Normandia, integrado pelos dois países e também por França e Alemanha. Putin, além disso, garantiu que Kiev "sabota, em sua essência, o cumprimentot dos acordos de mudanças da Constituição (ucraniana) sobre o status especial do Donbass, as eleições locais e a anistia dos participantes do conflito. "Em geral, na Ucrânia, são violados sistematicamente os direitos humanos, no nível legislativo é feita a discriminação da população russo falante", garantiu o presidente.

Lukashenko, por sua vez, alertou que, pela primeira vez em décadas, a região é "à beira de um conflito real", que considerou ser responsabilidade do Ocidente. "Como vocês podem ver, isso já não depende, inclusive, de nossos vizinhos, incluindo a Ucrânia. 

Para vocês, é evidente de quem depende a escalada das tensões junto a nossas fronteiras", disse o presidente bielorrusso. Lukashenko acusou "uma série de políticos ocidentais" de irresponsabilidade e falta de inteligência que "escapam à lógica" e por terem "um desejo de caminhar na beira do precipício". 

As forças ucranianas e os separatistas pró-russos se acusaram pelas violações do pacto de cessar-fogo no leste da Ucrânia, com o uso de armas proibidas pelos acordos de Minsk. 

Autoridades da autoproclamada república de Donetsk anunciaram hoje a evacuação de parte da população local para a Rússia, diante do risco do reinício dos combates nesta região.

BLOG. FRANCISCO FIGUEIREDO

Muito Obrigado por sua visita! A internet é a mais fantástica invenção do homem nos últimos tempos. A liberdade de pensamento que ela nos oferece é de um poder fenomenal. E foi tentando otimizar este espaço privilegiado, que editamos este Blog. O intuito é publicar e discutir qualquer assunto que seja notícia ou de interesse público. Muito obrigado por sua visita e não esqueça de interagir conosco, escrevendo e opinando. REPÓRTER INVESTIGATIVO, DETETIVE PROFISSIONAL - EQUIPE CODI. COMUNICAÇÃO E MÍDIA.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Publicidade

Music